06/09/2019 15h57 - Atualizado em 06/09/2019 15h57

Queda na arrecadação motiva reunião com secretários


Queda na arrecadação motiva reunião com secretários

As dificuldades econômico-financeiras nos municípios brasileiros por conta da falta de repasses de verbas dos governos Estaduais e da União estão presentes no dia a dia das administrações municipais.

Em Pejuçara não é diferente. A Administração Municipal vem encontrando algumas dificuldades, tendo em vista a ausência dos repasses devidos pela União e pelo Governo do Estado para setores importantes como educação, saúde e assistência social, além da infraestrutura.

Esta situação motivou nesta semana uma reunião do prefeito Eduardo Buzzatti com os secretários municipais e o vice-prefeito Marcos Villani. Na pauta, a necessidade de austeridade nos gastos públicos, tendo em vista a falta de recursos para a execução de algumas ações. “Por isso temos que ter rigor no controle dos gastos”, afirmou.

Queda na arrecadação motiva reunião com secretários

“Temos que esclarecer à comunidade que o atraso em obras ou realização de alguns serviços nem sempre é vontade do Poder Público Municipal. Nos municípios há muita dependência de recursos do Estado e da União, e se eles não vêm, as coisas ficam mais difíceis”, comentou o Chefe do Executivo.

De acordo com a secretária da fazenda Caroline Mastella, a queda na arrecadação que é a soma dos recursos devidos pelo Estado e União ao município de Pejuçara chega aproximadamente meio milhão de reais, cerca de 20% do previsto se considerados os dados da da estimativa de arrecadação total. “Estes valores influenciam diretamente nos cofres públicos tendo em vista a realidade econômica do nosso município”, lembrou.

O prefeito Eduardo Buzzatti solicitou aos secretários municipais que atentem para as prioridades em detrimento de gastos menos relevantes devido à instabilidade financeira provocada pela ausência de recursos. “Temos o compromisso de manter as ações prioritárias que estamos tocando no município nos diversos setores, no entanto, é necessário que a comunidade compreenda se alguma solicitação não for atendida de pronto pela municipalidade”, concluiu. 

Edição: Antonio Brito 

Assessoria de Comunicação



Enviar por e-mail Imprimir